Por Marina Sartori
Jornalista

O nariz é o elemento central que garante a harmonia da face de qualquer pessoa, e que influencia diretamente na simetria e na beleza do rosto.

Ele define o perfil e dá as principais características à chamada personalidade estética: delicada, grosseira, redonda, forte, esguia, etc.

Até porque, os traços do rosto acompanham a genética de etnias e raças.

A mais antiga das cirurgias plásticas é justamente a que corrige deformidades decorridas de acidentes ou má-formação do nariz.

No século XV, a cirurgia plástica começou a evoluir novamente após séculos estagnada, com os estudos de Heinrich von Pfolspeundt, que conseguiu realizar a reconstrução completa do nariz, utilizando a pele em excesso do braço.

A Rinoplastia foi, então, a mãe da cirurgia plástica reconstrutora, ganhando enorme repercussão na Europa do século XVIII.

Inúmeros combatentes de guerra se submeteram à cirurgia para melhorar a aparência de seus narizes, que sofreram impactos na luta armada.

Hoje, a importância da cirurgia plástica de nariz se deve à grande satisfação dos pacientes que se submetem a ela.

Porque, apesar de ser uma estrutura pequena em relação a outros órgãos, o nariz tem importância fundamental.

São as narinas que filtram partículas poluentes, umidificam e aquecem o ar que respiramos, funções vitais do organismo.

Por isso, de nada adianta ter um nariz bonito com defasagem dessas funções, assim como o inverso pode incomodar tanta gente.

Mas técnicas de rinoplastia permitem que essa estrutura tão complexa de cartilagens, ossos e mucosa, seja operada com precisão, apesar de ser uma cirurgia extremamente delicada.

Esta cirurgia praticamente não deixa cicatrizes aparentes, já que os cortes necessários para a cirurgia são feitos dentro das narinas ou nos sulcos.

Nos casos em que há correção das asas nasais, as incisões são feitas exatamente sobre os sulcos, o que pode deixar uma leve cicatriz, na qual, na maioria das vezes, desaparece com o passar das semanas.

By | 2018-07-12T16:33:56+00:00 12/06/2017|Geral|0 Comments

Leave A Comment