Rinoplastia

Cirurgia Plástica de Nariz

História da Rinoplastia

Conhecida como a mãe da cirurgia plástica, a Rinoplastia nasceu na Antiguidade. Médicos indianos realizavam transplantes de pele e reconstruções nasais já no século VIII a.C, período no qual a amputação do nariz era um castigo para certos crimes, como na Índia, onde a amputação de nariz era uma forma frequente de punição para crimes como adultério.

A história da cirurgia plástica, no entanto, ficou muito tempo estagnada por motivos principalmente religiosos. O Papa Inocêncio XIII proibiu as cirurgias plásticas e operações no decorrer do século XIII. Somente em meados do século XVI com a autorização do Papa Sixto V é que as coisas começam a mudar.

Mas é somente no século XV que a cirurgia plástica, após séculos de evolução estagnada, se aproxima do que é hoje. É nesta época que as técnicas cirúrgicas começam a ser utilizadas em favor da estética. Graças aos estudos de Heinrich Von Pfolspeundt, o pioneiro cirurgião alemão que conseguiu realizar a reconstrução completa do nariz, utilizando a pele em excesso do braço.

A cirurgia estética, após o sucesso dos estudos de Von Pfolspeundt, ganha grande repercussão na Europa do século XVIII. Inclusive, inúmeros combatentes de guerra se submeteram à cirurgia para melhorar a aparência de seus narizes, que sofreram impactos na luta armada.

Em 1898, Jacques Joseph realiza com sucesso a redução de tamanho do nariz e passa a defender a teoria de que uma pessoa cuja aparência causa desvantagem social ou econômica é atingida da mesma forma que uma pessoa que sofre de uma doença debilitante. Joseph chamava o desejo de parecer normal como “anti-displasia” e não vaidade. Com sua visão corajosa e sucesso precoce, ele logo se torna referência em cirurgia plástica facial na Europa e acaba entrando para história como o pai da cirurgia plástica facial moderna.

Hoje, a importância da cirurgia plástica de nariz se deve à grande satisfação dos pacientes que se submetem a ela. Porque, apesar de ser uma estrutura pequena em relação a outros órgãos, o nariz tem importância fundamental. São as narinas que filtram partículas poluentes, umidificam e aquecem o ar que respiramos, funções vitais do organismo.

A evolução da medicina e da tecnologia de equipamentos cirúrgicos oferece técnicas de rinoplastia que permitem que essa estrutura tão complexa de cartilagens, ossos e mucosa, seja operada com precisão, apesar de ser uma cirurgia extremamente delicada.

A mãe da plástica hoje é uma das 1.252 cirurgias estéticas realizadas por dia no Brasil, de acordo com pesquisa feita pelo Datafolha encomendada pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.